Você assina Netflix? Então, não pode perder o documentário “Pet Fooled” (um trocadilho genial com “enganado” e “ração”), que já está disponível com legendas em português. Uma excelente oportunidade para tirar as vendas dos olhos – caso alguém ainda realmente acredite que ração industrialmente processada é a opção mais SAUDÁVEL de alimento para nossos pets. 😉 São muitas as minhas ressalvas a esse tipo de alimento:

  •  O processamento industrial violento, com emprego de pressão e altas temperaturas, origina toxinas potencialmente oncogênicas (cancerígenas), como aminas heterocíclicas e acrilamidas.
  • Rações à base de milho estão frequentemente contaminadas com toxinas fúngicas (micotoxinas) que têm potencial oncogênico e disruptor endócrino, além de serem hepatotóxicas.
  • O baixíssimo teor de umidade (água) das rações secas causa em muitos pets (especialmente em gatos) um estado crônico de sub-hidratação que sobrecarrega os rins e coloca em risco sua saúde urinária.
  • Muito amido, pouca carne. Entre 40 e 60% das calorias da maioria das rações, com raras exceções, vêm de carboidratos simples, como subprodutos de milho (sempre transgênico…) que se convertem em açúcar no organismo. Por isso tantos pets hoje em dia estão acima do peso, inflamados, com dores, com infecções crônicas (açúcar é alimento de fungos, leveduras e bactérias) e diabéticos. Detalhe: o teor de carboidrato das rações convenientemente não vem discriminado no pacote. Os fabricantes informam apenas os níveis de proteína, gordura, fibras, umidade e minerais. Para descobrir o teor de carboidrato de uma ração o consumidor preocupado com esse aspecto precisa fazer uma conta (o número “100” menos o valor informado no rótulo de gordura, proteína, matéria mineral e umidade) ou ligar para o SAC da empresa e perguntar.

Isso sem falar na qualidade questionável de ingredientes como “farinha de subprodutos de frango”, “glúten de milho”, “óleo de soja refinado”, sem falar na falta de legumes, frutas e verduras nas fórmulas e sem falar nos aditivos empregados para conservar a maioria das rações, como o derivado de petróleo BHT.

Enfim, são muitos problemas com uma indústria que parece se preocupar muito mais com lucros do que com a saúde dos nossos cães e gatos. (Aliás, a MARS, maior produtora de ração do mundo e também fabricante de chocolates como M&Ms e Snickers, é também atualmente a dona da maior rede de hospitais veterinários nos EUA….) Assistam ao documentário e divulguem, divulguem, divulguem. Divulguem aos veterinários dos pets de vocês. E busquem alternativas verdadeiramente saudáveis.

Fique por dentro!

Fique por dentro!

Inscreva-se na nossa newsletter para receber nossas novidades por email.

You have Successfully Subscribed!