Fígado

Fígado não é um alimento contaminado demais para se oferecer aos pets?

Luíza pergunta:

Li em algum lugar que, apesar de ser muito nutritivo, fígado não deve ser oferecido aos pets em função de ser esse o órgão de desintoxicação dos animais.  É isso mesmo? Fígado contém resíduos de medicamentos e outras substâncias que podem fazer mal aos cães e gatos?

Cachorro Verde responde:

Luíza, sua dúvida é muito interessante. Na Alimentação Natural (AN) proposta pelo Cachorro Verde, vísceras como fígado, rim, baço etc, devem compôr pelo menos 10% da dieta diária (para mais informações sobre formulação básica da Alimentação Natural, confira Dietas para Cães e Dietas para gatos).

Os benefícios do fígado superam de longe o fato de ser um órgão de desintoxicação potencialmente poluído.  Cem gramas dessa víscera fornecem proteína, ferro, magnésio, potássio, sódio, zinco, cobre, selênio, colina, vitamina A, D, K e vitaminas do complexo B  em quantidades apreciáveis. É por isso que médicos e nutricionistas há décadas enfatizam a importância de servi-lo periodicamente às crianças. Pelos mesmos motivos, na maioria das rações para pets entra fígado. Verifique os rótulos e comprove!

Aliás, uma curiosidade que conta pontos para as dietas caseiras: como carnes e vísceras são alimentos nobres e caros de produzir, vísceras e carnes considerados impróprios para consumo humano são frequentemente destinados à fabricação de rações para cães e gatos.  Ao passo que o adepto de dieta caseira para pets pode comprar para seu peludo alimentos de qualidade superior em açougues, feiras-livres, supermercados, CEASA etc.

Como o fígado não deve ser ofertado em excesso na dieta natural, não é preciso se preocupar tanto com essa questão dos resíduos. Até porque nossos bovinos de corte são abatidos em geral com até dois anos de idade, o que limita bastante os riscos de um grande acúmulo de resíduos.

Mas, para quem prefere, o mercado já oferece fígado de frangos criados em regime caipira e orgânico – e de bovinos criados à pasto (“free-range”). Outra opção seria oferecer semanalmente peixes marinhos (selvagens) servidos inteiros, com as vísceras. É importante ressaltar que vários alimentos não-orgânicos ou não-caipiras podem conter resíduos: vegetais podem apresentar defensivos agrícolas, frango de criação convencional pode ter resíduos de antibióticos, etc. Ou seja, acreditar que apenas o fígado é contaminado é cultivar uma visão limitada do problema.

Há mais de três anos ofereço a meus cães e gatos alimentos convencionais (não-orgânicos, não-caipiras), com exceção de ovos, que prefiro comprar orgânicos – em função dos preços bastante razoáveis. Tenho tido ótimos resultados com a turma toda e olha que são animais de idades e portes variados. Atribuo o êxito à grande variedade de alimentos presentes na dieta, que a médio e longo prazo ajuda a evitar problemas de saúde por excessos ou deficiências.

Entretanto, acho muito bacana quem se esforça para consumir e também oferecer aos pets uma dieta o mais destituída de resíduos possível. Mas tenha em vista que mesmo a alimentação mais saudável do mundo não faz milagres: é muito importante também maneirar nos demais insultos possivelmente cumulativos, como excesso de vacinas, vermífugos, e medicamentos, radiação, metais pesados presentes na água, pipetas inseticidas de aplicação mensal, obesidade, sedentarismo etc, etc, etc. Àqueles interessados em promover aos peludos um estilo de vida integralmente saudável, recomendo a leitura de nosso artigo O que mais você pode fazer pela saúde de seu pet.

Tem dúvidas sobre Alimentação Natural? Mande um e-mail para a gente!

Abraços e obrigada por visitar o Cachorro Verde!