Nossa turma canina "escovando os dentes" com pés de porco crus como ossos recreativos!

Nossa turma canina “escovando os dentes” com pés de porco crus como ossos recreativos!

1. O que são ossos recreativos?
São ossos naturais grandes e crus, de uso opcional que entram na Alimentação Natural crua ou cozida como complementos ocasionais. Servem para ser roídos, distrair os pets, raspar o “tártaro” acumulado nos dentes e fortalecer os músculos faciais e cervicais. Não são ossos defumados, nem “ossos de nó” feitos de couro bovino, como aqueles à venda em pet shops. Ossos recreativos são peças 100% naturais, contêm um pouco de carne e outros tecidos (tendões, cartilagem etc) e podem ser obtidos em açougues e em feiras.

Ossos recreativos não são a mesma coisa que os chamados ossos carnudos crus (ou raw meaty bones). Ossos carnudos crus contêm carne e osso em uma proporção harmoniosa e fazem parte da Alimentação Natural crua, aquela que composta por ossos, carnes e vísceras crus. Ossos carnudos crus são peças menores – de frango, peru, pato, rã – que os cães e gatos mastigam rapidamente e engolem na totalidade. Fornecem cálcio e um pouco de proteína na Alimentação Natural crua.

Já o intuito dos ossos recreativos não é fornecer cálcio ou compôr a dieta, mas proporcionar distração e limpeza dos dentes. São peças bem grandes que devem ser demoradamente roídas e não mastigadas e engolidas de uma vez. Essa é a diferença entre um pescoço de frango, que é um clássico exemplo de osso carnudo cru, e um joelho de boi, um típico exemplo de osso recreativo. O pescoço é mastigado e engolido e faz parte de uma dieta (Alimentação Natural crua). O joelho de boi é uma peça complementar, opcional, para ser roída demoradamente e pode ser oferecido a pets que recebem qualquer tipo de dieta – crua, cozida e até mesmo ração.

Recapitulando: osso com uma quantidade razoável de carne que o pet mastiga em poucas bocadas e engole é osso carnudo cru: asas, pescoço, dorso de frango. E osso grandão, com menos carne, que o cão rói por um logo período sem conseguir engolir de uma vez, é osso recreativo: joelho de boi, pé de porco, osso do peito de boi.

2. Quanto custa um osso recreativo?
Em geral você não paga nada por ele. Basta conversar com donos ou funcionários de açougue e eles reservarão para você peças que normalmente são descartadas, como joelhos de boi (“rótulas”), vértebras, ossos da bacia, joelhos de porco, osso do peito de boi, “osso do acém”, pescoço de leitão ou de cordeiro, escápula (osso do ombro) etc. Se não conseguir obtê-los de graça, procure por joelho de porco, pés de porco ou ossos do peito de boi nas feiras-livres (é possível encomendá-los) ou em supermercados.

boa opção de osso recreativo para cães de porte pequeno e médio: ossos de pescoço de boi – poroso e com direito a uma coberturinha de carne, que você pode reduzir, caso ele já consuma carne na dieta caseira.

3. Como devo escolher o osso recreativo?
Procure evitar ossos longos, do tipo fêmur, aqueles com tutano. São duros demais e não absorvem adequadamente o impacto das dentadas, podendo levar o cão a fraturar os dentes. Um pouco de carne, tendões e cartilagem em volta são muito bem-vindos porque “acolchoam” a peça. Deixam o osso mais interessante, nutritivo e seguro para o consumo. Outro fator importante é o tamanho do osso. Deve ser bem maior que a boca aberta do seu cão ou poderá ser engolido de uma vez – o que não é o intuito dos ossos recreativos. Não tem problema o cão reduzir drasticamente o tamanho do osso ao roê-lo, mas ele não deve conseguir engoli-lo de uma vez.

Joelho de boi: um ótimo osso recreacional para cães de porte grande

4. No dia em que é oferecido, o osso recreativo pode substituir a porção de ossos carnudos crus (raw meaty bones) da Alimentação Natural crua?
Sim, porque o cão acaba comendo pelo menos parte do osso recreativo. Mas fica ao seu critério. Há quem escolha um dia por semana ou um dia a cada quinze dias para oferecer apenas um osso recreativo caprichado – e mais nenhum outro alimento o dia todo. Nem carnes, nem ovos, nem legumes, nada. Como se fosse um dia de jejum de sólidos. (Mas é só de sólidos, hein? Água fresca deve sempre ficar à vontade.)

Na verdade, há veterinários que recomendam a prática regular do jejum de sólidos de um dia para os cães. Segundo eles, o organismo aproveita esse dia de “menos movimento” para se desintoxicar e se reequilibrar. Na natureza, os canídeos passam vários dias em jejum. Vem daí a recomendação dos experts.

Ossos das pernas do boi inteiros assim não são indicados – lisos e muito duros, podem quebrar os dentes!

5. Com que freqüência devo oferecer ossos recreativos?
Se sua intenção é prevenir ou combater o “tártaro” você deve fazê-lo regularmente. O ideal é dar um osso recreativo 1-2x vezes por semana ou pelo menos 1x a cada dez ou quinze dias. Se a ideia é proporcionar distração ocasional, ofereça algumas vezes por mês. Só não ofereça o osso mais que 2x por semana porque o esforço de roer acaba facilitando a fratura dos dentes. Se não quiser ou não puder oferecê-los, tudo bem também. Não são itens essenciais à Alimentação Natural caseira dos cães.

6. Como devo preparar os ossos recreativos?
O congelamento profilático (em freezer por pelo menos 3 dias ou em congelador por 5 dias) é recomendado para inativar possíveis parasitos presentes nas peças cruas. Depois de ficar congelado por esse tempo, descongele o osso na parte mais baixa da geladeira por cerca de 12 horas e ofereça o osso para o cão.

7. Como oferecer ossos recreativos?
Deixe o cão roer o osso recreativo por cerca de 45-60 minutos e esteja por perto para supervisioná-lo pelo menos durante as primeiras vezes. Se tiver mais de um cachorro na casa, não se esqueça de mantê-los separados para evitar disputas. Nessas horas, até o mais bonzinho dos Totós pode virar um lobo! Não tem como separar seus cães? Atire vários ossos grandes pelo quintal. Assim, quem terminar primeiro não rouba o osso do colega.
Depois de roídos todos os ossos devem ser imediatamente descartados. Não deixe os ossos pelo quintal porque eles vão apodrecer, nem guarde o osso para oferecer novamente depois porque ele já estará contaminado demais.

8. Que opções são mais indicadas para cães de porte pequeno, médio e grande?
Para cães de porte pequeno de até 5kg: um osso grande (o maior deles) da rabada bovina, joelho de boi, um pedaço de mocotó bovino grande, osso do peito de boi serrado em dois ou três pedaços, uma rodela de pescoço de peru.

Para cães de porte pequeno até 10kg: vértebra bovina média, osso do peito do boi, osso da bacia do boi, joelho de porco, pé de porco inteiro.

Para cães de porte médio e grande: joelho de porco, bacia de boi, “osso do acém”, articulações, pé de porco inteiro, pescoço de cordeiro.

Lembre-se: o cão não deve conseguir engolir o osso. Por isso escolha peças grandes, sempre maior que a boca aberta dele. O tamanho mais seguro é um osso que seja aproximadamente do mesmo tamanho que a cabeça do seu cão.

Não recomendo, por já ter recebido alguns relatos de incidentes: suan de porco, costela de porco, costela bovina, ossos longos de peru, ossos pequenos para cães de porte médio e grande. Esses ossos podem provocar engasgo e/ou perfuração gastrintestinal por se partirem em lascas muito pontiagudas e rígidas. Na dúvida, prefira sempre ossos bem grandes, arredondados e com alguma cobertura de tecidos moles (tendões, carne etc).

9. O osso recreativo não faz sujeira?
Sirva o osso recreativo no quintal, jardim, varanda ou em algum lugar (cozinha, algum lavabo) com piso de fácil limpeza. Mora em apartamento sem varanda? Pode ser interessante instalar um portãozinho de cachorro para impedir que o cachorro saia com o osso na boca e pule sobre o sofá ou sobre o tapete com a peça na boca.

Seu cão ficou com cheiro de “açouguinho” depois de roer o osso? Agende o dia do banho para o dia que ele recebe o osso. Do contrário, basta uma boa passada de pano úmido e uma vigorosa escovação da pelagem pra dar um jeito.

10. Servi o osso e meu cachorro não deu a mínima. E agora?
Uma pequena parcela dos cães não sabe o que fazer com ossos naturais crus. Para tornar a peça mais apetitosa se esse for o caso do seu peludo, fervente o osso rapidamente por alguns instantes – mas sem deixar o osso cozinhar.

Se mesmo após ferventar o osso o cão não demonstrar interesse, ofereça a peça no lugar da primeira refeição do dia, que é quando a maioria dos cães apresenta mais fome. Também vale lambuzar o osso com um pouco de iogurte ou outro alimento natural pastoso para convidar o cão a dar uma chance.

Kimi, Teckel, limpando os dentes na extremidade de um osso cru de cordeiro.

11. Depois de roer o osso, meu cachorro fez um cocô esbranquiçado, seco e farelento. É normal?
Nos dias em que o cão consome ossos (osso recreativo ou osso carnudo cru, os raw meaty bones), as fezes decorrentes podem sair meio branquinhas e “farelentas”. Isso é normal. Se achar que seu cão está constipado (sem fazer cocô há mais de 24 horas), capriche na porção de vegetais (fibras) das próximas refeições, aumente um pouco a porção de óleos e leve-o para passear.

12. Ossos de couro e palitinhos brancos não são opções saudáveis?
Considero grande parte dos palitos, “bifinhos”, biscoitos e ossos de couro “fast-food” canino, lotados de aditivos sintéticos e pobres em nutrientes naturais. Ossos “de couro” (aqueles brancos) devem ser evitados porque são indigestos e ainda podem ter agentes para ficarem brancos, como soda cáustica – que prejudica o estômago e altera o pH do organismo.

13. Existe osso recreativo para gatos?
Os felinos podem manter os dentes e gengivas em ordem roendo ossos crus de frango, como cabeças sem bico, pés de frango, asa de frango, ou um pedaço de pescoço de peru.  (Ossos de frango são perfeitamente seguros, desde que sejam sempre oferecidos crus.) Mas é bom saber: em geral somente gatos bem acostumados a comer alimentos naturais se interessam por ossos.

14. Meu cão passou mal (vomito e/ou diarreia) após roer o osso recreativo. E agora?
Depois que ele melhorar, ofereça outra vez. Veja se não errou em algo da primeira vez. O osso era grande o bastante? Havia sido congelado ou ferventado conforme as orientações acima? Será que o pet passou tempo demais (mais de 60 minutos) roendo o osso? Se mesmo fazendo tudo certinho o problema se repetir, não ofereça mais ossos recreativos. É um item inteiramente opcional na dieta dos cães e gatos.

Matilda, Buldogue Francês, e o osso recreativo: uma maneira natural de manter dentes e gengivas saudáveis!

Fique por dentro!

Fique por dentro!

Inscreva-se na nossa newsletter para receber nossas novidades por email.

You have Successfully Subscribed!