“Quanto vou gastar por mês com a AN  de meus cães?”

“Os valores da AN são próximos aos de uma ração Super Premium ou superiores?”

Dúvidas como essas são comuns e bastante pertinentes. Por experiência própria – mas também pelo feedback de centenas de adeptos da dieta – os custos de uma AN completa, composta por alimentos variados, de ótima qualidade e procedência, em geral são inferiores aos de alimentar cães e gatos com rações Super Premium.

Se acontecer do custo superar o da ração, pense na dieta caseira balanceada como sendo um investimento de peso na saúde, bem-estar e longevidade do seu amigão. Acreditamos que, da mesma forma que decorre com o ser humano na atualidade, muitas doenças são provocadas ou agravadas por consumo de dieta industrializada.

Uma AN de excelente qualidade frequentemente custa o mesmo ou pode ser mais em conta que ração de categoria Super Premium!

Mas infelizmente não é possível prever exatamente quanto você irá gastar. Essa resposta depende de inúmeros fatores, como:

Local onde você mora. Existe diferença de preços entre bairros e, claro, cidades. Em regiões litorâneas, peixes marinhos costumam ser mais em conta que em áreas rurais, por exemplo.

Local onde os alimentos serão comprados.  Abatedouros, granjas, avícolas, feiras-livres, mercados municipais e açougues costumam ter ossos carnudos crus, carnes, vísceras, ovos etc muito mais em conta que supermercados. Antes de começar, é preciso pesquisar!

A variedade de espécies que você pretende oferecer, principalmente em relação a carnes, vísceras e, no caso da AN crua, ossos carnudos. Em uma Alimentação Natural caseira adequada devem estar presentes regularmente pelo menos três espécies diferentes de animais. Exemplo: frango, boi e peixe. Ou frango, porco e peixe. Lembre-se: quanto mais variedade de cortes e espécies, maior será a gama de nutrientes diferentes ingeridos pelo seu pet. E menor será a chance de ele desenvolver alergia e/ou intolerância a um tipo de proteína animal oferecida de forma repetitiva na dieta. Variar é preciso! Se estivesse vivendo no ambiente natural, seu cão caçaria aves, répteis, mamíferos de todos os portes, devoraria peixes e não hesitaria diante de carcaças em decomposição e ovos caídos de ninho.

O tipo de alimento. Vegetais e carnes cultivados e criados convencionalmente são consideravelmente mais baratos que alimentos orgânicos ou oriundos de criação caipira – o que é uma pena, porque orgânicos e caipiras são mais saudáveis e nutritivos. Para quem tem um pet pequeno, como um gato ou cão de até 5kg, é provável que uma AN 100% à base de alimentos orgânicos e caipiras não pese no orçamento. Mas fica a seu critério.

O grau de sofisticação da dieta. A inclusão de alimentos exóticos, como carne de avestruz, carne de javali, mirtilo (blueberry), quinua, camarão etc, evidentemente encarece a dieta. Felizmente não é preciso ir tão longe, a não ser, é claro, que você deseje (e possa) bancar esses itens requintados. Mas saiba: o organismo não diferencia cortes de carnes; pra ele tanto faz receber carne nobre ou carne “de segunda”. Assim sendo, é besteira investir em filé mignon quando há opções igualmente nutritivas e muito mais em conta, como coração de boi, moela, língua, acém e músculo.

Quanto seu pet vai comer por dia. Filhotes, por exemplo, comem bastante proporcionalmente ao peso deles. Cães atletas, cadelas gestantes e lactantes, idem. Um cão de porte grande pode facilmente requerer mais de 1kg de alimentos por dia!

Quantos kg você pode comprar por vez. Quem tem um freezer só para o pet e tem vários animais em casa pode combinar um preço melhor ao comprar uma grande quantidade de carnes, ossos e vísceras em fornecedores como abatedouros, granjas, mercados municipais etc.

Resumindo: em grande parte, quem vai determinar quanto custará a dieta do seu pet é você. Pense em seu cão ou gato como se fosse uma criança. Quanto você gastaria por mês para alimentar uma criança de, digamos, 8 anos? É difícil estimar, não é mesmo? A resposta pode variar tremendamente de acordo com todos os fatores apontados acima.

Mas vamos arriscar uns cálculos usando como exemplo a Alimentação Natural caseira crua (AN crua). Estando na zona Sul de São Paulo você gastaria entre R$ 50 e R$ 70 para oferecer Alimentação Natural caseira crua por mês a um cão com 10kg de peso; e entre R$ 30 e R$ 50 para alimentar um gato com 4,5kg de peso por mês com o mesmo modelo de dieta.

Vai preparar em casa a dieta do seu peludo? Pesquisar fornecedores de bom preço é fundamental!

Vejamos alguns cálculos, usando AN crua para um cão adulto como exemplo.

Um cão adulto que pesa 10kg, estando no peso ideal (nem gordo, nem magro), recebe, em média, 3% do peso dele por dia em alimentos. Isso totaliza 300 gramas por dia. Seguindo a formulação básica da nossa Alimentação Natural crua, esses 300 gramas seriam compostos da seguinte forma:

  •  50% ou 150 gramas correspondem aos ossos carnudos crus
  • 15% ou 45 gramas correspodem às carnes desossadas cruas
  • 10% ou 30 gramas correspondem às vísceras cruas
  • 25% ou 75 gramas corresponderiam aos vegetais

O complemento que não pode ficar de fora da AN crua para cães de jeito nenhum é óleo vegetal (fonte de ácidos graxos essenciais), embora eu recomende enfaticamente a adição de um pouquinho de alho cru picadinho (só para cães; é tóxico para gatos), iogurte natural ou kefir, e levedo em cerveja em pó. (Para informações detalhadas, consulte nossos artigos sobre complementos da AN crua ou cozida para cães e gatos).

Pois bem. Em um mês, aquele cão de 10kg consumiria: 4,5kg de ossos carnudos crus já pesados sem pele, 1.350kg de carnes sem ossos, 900 gramas de vísceras, 2.250kg de legumes, cerca de 4 potes de iogurte natural integral, 1/2 frasco de óleo vegetal de boa qualidade, um quarto de um saquinho de levedo de cerveja em pó e alguns dentes de alho.

Algumas dicas:

Ossos carnudos crus: os de aves são mais baratos que de coelho, rã e cabrito. Os de frango são mais baratos que de peru, codorna e pato. Pescoço, cabeça e dorso de frango são mais em conta que asas e coxas de frango.

Carnes desossadas cruas: coração de boi, moela, lombo suíno, acém, músculo, língua, peito de frango, carne “de desossa” (bochecha, peito, carne das patas de boi e porco etc), filé de sardinha, são mais em conta que cortes ” de primeira”. Observação: ovos inteiros de galinha ou de codorna entram nessa categoria e também são considerados alimentos de preço razoável.

Vísceras cruas: rim de boi é mais em conta que fígado. Mas em geral todas vísceras são peças mais baratas. Outras vísceras: baço, pâncreas, “miolo” (cérebro), intestino e “bofe” (pulmão). Observação: moela, coração de boi, coração de frango, bucho e língua bovina não contam como vísceras, e sim como carnes, por serem órgãos musculosos.

– Vegetais: cenoura, abobrinha, beterraba, pimentão verde, chuchú e abóbora são mais baratas que ervilha-torta, pimentão vermelho, aspargos, palmito, alcachofra etc.

Complementos: preparar iogurte natural em casa sai mais barato que comprar os potinhos, além de ser mais saudável porque você evita os aditivos frequentemente presentes nos produtos comerciais. Azeite de oliva é mais em conta que óleo de linhaça ou óleo de coco e por aí vai.

Resumindo: quanto mais variedade nas categorias de alimentos (ossos carnudos crus, carnes, legumes, suplementos), mais nutritiva será a dieta do pet e mais abrangente e potente será o impacto da AN na saúde dele. Mas o cardápio também deve ser formulado tendo em vista o seu orçamento, a facilidade de encontrar determinados alimentos em sua região e todos os outros fatores descritos acima.

Quer dicas quentes para economizar com a compra de alimentos naturais nutritivos? Não perca esse artigo!

Fique por dentro!

Fique por dentro!

Inscreva-se na nossa newsletter para receber nossas novidades por email.

You have Successfully Subscribed!