Querida(o)s amiga(o)s, clientes e leitora(e)s,

Sabendo que mesmo cães saudáveis podem ter de vez em quando um “piriri” montei esse manual SOS para te ajudar a solucionar em casa episódios leves de mal estar agudo.

Leia esse guia com muita atenção. Aqui você encontra orientações gerais bastante úteis. Posso te dar uma dica? Imprima e guarde uma cópia desse guia com você para tê-lo sempre à mão.

Se você agir rapidamente e seguir as recomendações abaixo, na maioria das vezes conseguirá ajudar seu peludo sem necessidade de consultar o veterinário clínico-geral ou a mim.

Aliás, antes até de me procurar por conta de um episódio súbito de vômito, inapetência, diarreia ou coceira, por favor, consulte esse material e coloque em prática essas orientações.

Vômito

Colocar algo pra fora pelo vômito é um mecanismo de defesa importante do organismo. Um vômito ou outro de vez em quando (exemplo: menos de um episódio a cada 2-3 meses) em geral não é motivo para preocupação.

Mas se num mesmo dia seu cão vomitou duas, três ou mais vezes, faça o seguinte:

  1. Suspenda completamente alimentos por 8 a 12 horas (acredite: o estômago está sem condições de digerir nada agora). Mantenha água fresca à vontade sempre.
  2. Prepare uma dieta caseira de fácil digestão. Ofereça uma comida composta por 60% de mandioquinha (baroa, batata salsa) sem casca ou batata comum inglesa sem casca e 40% peito de frango ou carne de peru sem pele. Tudo cozido molinho, se possível até amasse a batata ou mandioquinha. Adicione uma pitada de sal no cozimento (importante para repôr sais minerais perdidos com o vômito). Obs: se seu cão é alérgico à carne de frango, use patinho bovino, carne de peru ou filé sem espinha de peixe magro (truta, tilápia, linguado, merluza ou pescada).
  3. Ofereça PEQUENAS porções mornas a cada 3 ou 6 horas e mantenha essa dieta básica por 3 dias, até ele melhorar. O único outro alimento que pode ser oferecido se você fizer questão de oferecer algum petisco são pedacinhos de maçã ou pêra sem casca e sem sementes, se ele gostar e aceitar. Suspenda todo o resto: complementos, petiscos etc.
  4. Assim que ele parecer estar melhor do estômago, vá retornando aos pouquinhos à dieta anterior.

Na minha experiência, as causas mais frequentes de vômitos são ingestão de pedaços grandes de alimentos, ingestão de objetos (fiapos de tapete, pedaços de brinquedos), algum suplemento/medicamento ou mesmo alimento que não caiu bem (são frequentes os vômitos por consumo de beterraba, sardinha e berinjela) ou jejum prolongado.

O jejum prolongado causa o que chamamos de vômito bilioso, que costuma ocorrer de madrugada ou pela manhã e contém uma “espuminha” e bile (secreção amarelada). O melhor tratamento para o vômito bilioso é fracionar o total diário de alimento em 3 ou 4 refeições menores ao longo do dia, servindo a última refeição praticamente antes do cão dormir e não demorando muito a servir uma refeição assim que você acorda pela manhã. Deste modo o estômago nunca muita muitas horas ocioso.

Se seu peludo tem estômago sensível e vomita com uma certa frequência, recomendo oferecer a dieta em pedacinhos pequenos. Carne moída e vegetais triturados no processador, mixer ou processador ajudam muito o trabalho da digestão. Também indico ter em casa porções congeladas de caldo caseiro de ossos para servir nessas ocasiões. Veja aqui como preparar esse valioso alimento e quanto servir. O caldo servido morno substitui a batatinha com frango e hidrata, nutre, é extremamente apetitoso (eu diria que é irresistível!) e ajuda a restaurar a mucosa do estômago. Vale a pena cada minutinho que leva para preparar e não gasta nem um sétimo do gás que você imagina.

Diarreia

Assim como acontece com a gente, nossos peludos também têm suas dores de barriga de vez em quando. Se ele fez um cocô mole e ficou por isso mesmo, em geral nem precisa fazer nada. Mas se a diarreia foi muito forte ou aconteceu mais de um episódio no mesmo dia, proceda da seguinte maneira:

  1. Suspenda completamente alimentos por 8 a 12 horas (acredite: o intestino está sem condições de digerir nada agora). Mantenha água fresca à vontade sempre.
  2. Prepare uma dieta caseira de fácil digestão. Ofereça uma comida composta por 60% de mandioquinha (baroa, batata salsa) sem casca ou batata comum inglesa sem casca e 40% peito de frango ou carne de peru (sem tempero) sem pele. Adicione uma pitada de sal ao cozimento (importante para repôr sais minerais perdidos com a diarreia). Amasse a batata ou mandioquinha junto à carne picadinha e cozida. Obs: se seu cão for alérgico à carne de frango, use carne bovina moída (de patinho), carne de peru ou filé sem espinha de peixe magro (truta, tilápia, linguado, merluza ou pescada).
  3. Ofereça PEQUENAS porções mornas a cada 4 ou 6 horas e mantenha essa dieta básica por 3 dias, até ele melhorar. O único outro alimento que pode ser oferecido se você fizer questão de oferecer algum petisco são pedacinhos de maçã ou pêra sem casca e sem sementes, se ele gostar e aceitar. Suspenda todo o resto: complementos, petiscos etc. Assim que as fezes firmarem, vá retornando aos poucos à dieta anterior.
  4. Para ele se recuperar mais rapidamente, recomendo a administração de probiótico comercial. Em pet shops você encontra pastas probióticas como as das marcas Microlac, Vetnil, Organnact e outras, sem necessidade de receita. Administre antes do peludo dormir a dose indicada pelo fabricante durante 5 dias seguidos. Estudos mostram que probióticos são mais eficazes que antibióticos e não causam efeitos colaterais! Uma outra opção muito eficiente de probiótico e que pode ser comprado em farmácias humanas é o Floratil. Administre 1 flaconete de 100mg, uma a duas ao dia por 5 dias.
  5. Um sinal de que o pior já passou e que a diarreia está sob controle é o cão ficar 1 a 2 dias sem fazer cocô. Quando isso acontecer, ou as fezes firmarem, volte a introduzir a dieta caseira anterior bem gradativamente. Leve pelo menos 7 dias para voltar completamente com a dieta, e, 7 dias depois, retorne com os complementos indicados (óleos etc), adicionando um a um por dia à dieta.Na minha experiência, as causas mais frequentes de diarreia são verminose, infecção bacteriana ou algum suplemento/medicamento ou mesmo alimento que não caiu bem. Alimentos muito gordurosos (excesso de vísceras, polpa de coco) e certos vegetais (quiabo, muita abóbora e muito inhame) podem causar fezes amolecidas.Se seu cão tem o intestino sensível e vez por outra tem um piriri recomendo ter em casa porções congeladas de caldo caseiro de ossos para servir nessas ocasiões. Veja aqui como preparar esse valioso alimento e quanto servir. O caldo servido morno substitui a batatinha com frango e hidrata, nutre, é extremamente apetitoso (nós diríamos que é irresistível!) e ajuda a restaurar a mucosa do intestino. Vale a pena cada minutinho que leva para preparar e não gasta nem um sétimo do gás que você imaginaria.Se episódios de diarreia estão acontecendo com frequência e você estiver seguindo a dieta caseira direitinho – sem exagerar em petiscos e sem oferecer alimentos inadequados – entre em contato para entendermos o que pode estar acontecendo e ajustarmos o modelo de dieta.
Muco nas fezes

De vez em quando pode ser normal encontrarmos muco no cocô do peludo. Essa secreção lembra clara de ovo ou plástico derretido e em alguns casos parece uma membrana de plástico envolvendo as fezes. Se isso acontecer esporadicamente, como uma vez a cada 2 a 3 meses, não há motivo para preocupação. Provavelmente se trata de uma “faxina” do cólon. Normal.

Mas se fezes com muco começarem a se repetir com frequência (dias seguidos ou episódios semanais) pode ser sintoma de disbiose (desequilíbrio da “flora” bacteriana intestinal), verminose ou intolerância intestinal a algum alimento ou suplemento.

Para corrigir uma disbiose, comece administrando diariamente uma boa pasta probiótica comercial. O probiótico contém bilhões de bactérias benéficas ao intestino e ajuda a regularizar a sua função. Bisnagas de pasta probiótica são vendidas em pet shops sem necessidade de receita. Existem inúmeras marcas: Vetnil, Inovet, Biocanis, Organnact. Durante 5 a 7 dias, administre antes do peludo dormir a dosagem indicada pelo fabricante para o peso dele. Se o problema retornar após a suspensão do probiótico, administre a pasta dois dias por semana para manutenção do bom ecossistema intestinal.

Outra causa frequente de muco nas fezes é intolerância a algum alimento. Pela minha experiência, um ou mais dos seguintes alimentos pode causar essa reação: sardinha, óleo de coco, abóbora, inhame, quiabo, vísceras e óleo de peixe. Experimente omitir da dieta do seu cão cada um desses alimentos por 7 dias seguidos e veja como fica a secreção de muco.

Por fim, outra causa importante de muco nas fezes é verminose (vermes intestinais). Para não vermifugar arbitrariamente, tendo em vista que essa medicação é sempre um pouco tóxica ao fígado, leve uma amostra do cocô alterado (com sangue e/ou muco) ao clínico-geral de sua confiança. Ele enviará para o laboratório e solicitará o exame coproparasitológico. Se for constatado verminose um vermífugo será indicado dependendo do parasito encontrado.

Se seu peludo está comprovadamente livre de vermes e está eliminando muco nas fezes mesmo recebendo probiótico regularmente, entre em contato para investigarmos outras causas e ajustarmos a dieta.

Constipação

Constipação é quando o cão não faz cocô diariamente ou aparenta sentir dor ou dificuldade ao defecar. Se isso estiver acontecendo, verifique se na véspera ele ingeriu uma grande quantidade de ossos naturais ou uma dieta pobre em fibras (ex: somente peito de frango e arroz branco, sem legumes) ou ainda uma quantidade excessiva de carnes magras. Nessas situações pode haver constipação.

Para solucionar o intestino ressecado, ofereça diariamente abóbora cozida como 5% da dieta. (Exemplo: se um cão recebe 500g de Alimentação Natural por dia, sirva 25g de abóbora cozida por dia.) Aumentar um pouco os óleos da dieta, principalmente óleo de coco e azeite de oliva, também ajuda. Caminhadas diárias vigorosas também destravam o intestino.

Gases

Suspenda da dieta alimentos que podem causar gases, como levedo de cerveja, alho, iogurte, couve-flor, brócolis, repolho, ovos, feijões, grão de bico e batata-doce. Esses alimentos em geral são ótimos para a saúde, mas para alguns cães eles geram uma fermentação excessiva, causando desconforto e  até cólica.

Se mesmo evitando esses alimentos, seu pet continuar com gases, leve amostras de fezes do peludo ao médico-veterinário clínico-geral e solicite o exame coproparasitológico. Ele pode estar com alguma verminose.

Prepare um chá de erva-doce (funcho) para seu peludo. Compre as folhinhas de verdade (são mais potentes que os sachês de chá) em lojas de produtos naturais ou em casas de chá. Coloque uma colher de chá das folhinhas em 150mL de água fervente, abafe e deixe em infusão por 5 minutos. Espere esfriar e sirva. A dosagem sugerida é de 20ml 3x ao dia para cães de porte miniatura, 50ml 3x ao dia a cães de porte pequeno, 100ml 3x ao dia para cães de porte grande e 150ml 3x ao dia para cães de porte gigante. Sirva morno. Se precisar, adoce com um pouquinho de mel de abelhas. Talvez você precise administrar forçado com auxílio de uma seringa.

Não adiantou? Entre em contato para vermos um ajuste na dieta.

Coceiras

Seu cão começou a se coçar bastante? Dê um bom banho com sabonete natural hidratante e seque bem, tomando cuidado de manter o secador afastado da pele, pois o calor excessivo inflama a derme. Recomendo sabonetes 100% naturais (veja aqui opções fantásticas) ou um bom shampoo hipoalergênico como o Allermyl Glico da Virbac.

Como a adequada hidratação da pele é fundamental para reduzir a coceira, além do Allerderm citado acima, recomendo o uso da solução hidratante sem enxágue Hidrapet, da Agener, à venda em pet shops. Utilize conforme a indicação do fabricante.

A coceira ainda não passou? Recomendo o spray fitoterápico antipruriginoso Dermefito, da marca Organnact. Borrife em um algodão e aplique nas regiões que coçam, quantas vezes por dia achar necessário.

Se ele tiver feito feridinhas de tanto se coçar, aplique sobre elas gel FitoFix da Fitovet ou uma pomada de calêndula à venda em farmácias humanas comuns.

Alguns alimentos podem estar implicados em causar ou agravar coceiras. Se seu peludo é propenso a se coçar, evite oferecer morango, cenoura, tomate, milho (maizena, pipoca, fubá), trigo (pães, bolos, biscoitos comerciais), soja e carne de frango. Retire completamente da dieta dele esses alimentos durante 2 meses e veja como fica a coceira. Não melhorou significativamente? Entre em contato.

Lambedura de patas

Diariamente, faça um “lavapés” usando iodopovidine (antisséptico comum, à venda em farmácias). Dilua o iodopovidine até que adquira uma coloração de chá gelado (similar à cor da cerveja pilsen), coloque o líquido em um recipiente largo e baixo (como uma travessa), adicione 5 gotas de própolis sem álcool (à venda em lojas de produtos naturais ou aqui e coloque dentro uma pata por vez (basta haver líquido suficiente para cobrir os dedos) por 3 minutos (por pata). Não é preciso enxaguar, apenas seque bem. Assista aqui a um vídeo demonstrando como fazer o lavapés. Procure fazer isso diariamente durante 15 dias seguidos.

Outra dica valiosa para cão que lambe as patas é borrifá-las 2x ao dia com o spray à base de própolis Dermefito, da marca Organnact. Esse produto possui forte sabor amargo e ação antisséptica e antipruriginosa (inibe coceiras) e é livre de antibiótico e corticoide. Borrife em um algodão e aplique onde estiver coçando, sempre que sentir necessidade.

Não bebe água

É super normal o pet que recebe Alimentação Natural beber bem menos água. Isso, porque a dieta caseira contém cerca de 70% de água, enquanto a ração possui apenas 10% de água e muito mais sódio. Comendo dieta caseira seu peludo automaticamente ingere 7x mais água que comendo ração. É normal, então, que ele se sinta mais hidratado.

O que conta é o aspecto do xixi. Se a urina estiver clarinha e com volume normal, fique tranquilo e não faça nada. (Note que o primeiro xixi da manhã é sempre mais concentrado.) Mas se a urina estiver realmente concentrada (sempre bem amarela, com menor volume do que antes e com odor forte), experimente adicionar 1 colher de sopa de água a cada refeição para cães de porte miniatura, 3 colheres de sopa para cães de porte pequeno, 5 colheres de sopa para cães de porte médio e 7 colheres de sopa para cães de porte grande. Estimule-o a fazer xixi frequentemente proporcionando passeios curtinhos várias vezes ao dia.

Não quer comer

Cães são como nós: podem simplesmente não estar com vontade de almoçar ou jantar ocasionalmente. Se seu peludo faz questão de pular uma refeição de vez em quando, mas aparenta estar bem, respeite-o. Eles são sábios. O jejum de sólidos promove a desintoxicação do organismo e ele pode estar buscando isso.

A pior coisa que você pode fazer é ficar oferecendo outros alimentos a ele. Insistir e oferecer alimentos mais gostosos sempre que ele rejeita a refeição conduz a outro problema: torna o apetite terrivelmente seletivo e imprevisível.

A maioria dos cães tolera muito bem o jejum de alimentos. Mas se seu peludo vomita bile nesses dias em que rejeita alimento, sirva a ele nesses dias porções de caldo caseiro de ossos. Vai ser muito difícil ele recusar. O caldo vai proteger o estômago dele, nutre intensamente e ainda ajuda a tornar o apetite mais regular.

Se ele estiver selecionando os alimentos mais gostosos do pratinho, ou deixando parte da refeição no prato, a primeira coisa a fazer é suspender todos os petiscos, biscoitos, bifinhos, lanchinhos e comidinhas que ele estiver recebendo fora das refeições. Essas coisas tiram a fome, então, se ele não estiver com fome na hora da refeição, não vai comer tudo mesmo.
Tente também variar os ingredientes das refeições entre as opções da dieta dele, para o caso dele ter enjoado de algum alimento. E sirva as refeições nos horários mais frescos do dia – logo pela manhã e à noite. Nos meses de verão é comum o apetite dos cães ficar diminuído. Se nada disso funcionar, leve-o ao veterinário para investigar se ele está com alguma dor que está atrapalhando a alimentação. Pode ser desde uma dor de dente até uma gastrite, então, não deixe de investigar!

Está ficando com fome

É normal os cães ficarem completamente alucinados por comida caseira depois de mudarem para Alimentação Natural. Comportamentos como lamber a tigela vazia no meio da tarde, seguir todo mundo que entra na cozinha e devorar a refeição em 5 segundos são normais. Esse apetite de repente tão aflorado acontece porque a dieta caseira é muito mais estimulante sensorialmente do que a ração e também porque a comida é digerida mais rapidamente que a ração. Como os cães não têm um bom mecanismo de saciedade, diante de comida gostosa eles ficam “sem fundo”.

Se seu peludo aparenta estar com fome, mas está mantendo o peso saudável, provavelmente ele está recebendo calorias o suficiente. Oferecer mais comida ou mais petiscos nesse caso só piorará o problema. Quanto mais alimento você der, mais ansioso por comida ele ficará. Pior: comida em excesso leva à obesidade e a todos os seus problemas. Seja firme e seu cão eventualmente vai parar de pedir comida.

Para tapear o apetite de leão, você pode adicionar uma fonte de fibras às refeições para aumentar a sensação de saciedade. Sugiro misturar farelo de aveia (não pode ser a farinha de aveia e nem a própria aveia) na dosagem de 1 colherinha de café a cada refeição diariamente para cães de porte miniatura, 1 colher de chá a cada refeição diariamente para cães de porte pequeno, 1 colher de sobremesa a cada refeição diariamente para cães de porte médio e 1-2 colheres de sopa a cada refeição diariamente para cães de porte grande e gigante. Uma opção de fibra sem glúten para cães alérgicos seria a farinha (ou fibra) de maracujá. A dose sugerida seria a mesma que a indicada para o farelo de aveia.

Ambas as fibras – farelo de aveia e fibra de maracujá – estão à venda em lojas de produtos naturais (no site da Zona Cerealista os preços são ótimos). O efeito saciador das fibras é potencializado pela adição de um pouco de água. Para cada medida de fibra adicionada à refeição, adicione e misture três medidas de água. (Exemplo: 1 colher de chá de fibra + 3 colheres de chá de água).

Está com receio de estar dando pouca comida? Não aumente as porções por conta própria. Entre em contato e avaliaremos juntos a necessidade de dar mais comida.

Não come os legumes

Alguns cães não gostam muito de legumes e verduras. Se é o caso do seu peludo, suspenda completamente a oferta de qualquer petisco (biscoitos, bifinhos, frutas, guloseimas) do dia-a-dia dele. Petiscos acabam reduzindo o apetite para as refeições e o primeiro grupo de alimentos a ser recusado em decorrência disso são os legumes.

Estimule-o a comer vegetais com as seguintes dicas:

  • ofereça os vegetais sempre cortados em cubinhos pequenos e cozidos.
  • use carne moída (em vez de carne em cubinhos) e misture bem os legumes nessa carne.
  • experimente cozinhar os legumes na água que cozinhou a carne para que os vegetais peguem o gosto e o cheirinho da carne. Outra opção é cozinhar os legumes no caldo caseiro de ossos. Costuma ser tiro e queda!
  • nada adiantou? Você vai precisar triturar tudo junto: as carnes e os vegetais em uma papa grossa. Aí não tem erro.
Pulgas e Carrapatos

Em caso de infestação, adote o protocolo recomendado pelo veterinário do seu peludo. Mas uma vez controlado o quadro extremo recomendo fazer a prevenção com produtos naturais fitoterápicos e homeopáticos. Experimente! Para as nossas cachorras e para centenas de pacientes esses produtos funcionam muito bem, reduzindo tremendamente a necessidade de aplicar os produtos inseticidas convencionais. O protocolo que indico é o seguinte:

  • Fator P&P Animal glóbulos da marca Arenales (contra pulgas): dê 5 glóbulos 2x ao dia (pode ser no alimento)
  • Fator Ecto-Cão da marca Arenales (contra carrapatos): dê 5 glóbulos 2x ao dia (pode ser no alimento)

Use sempre, sem interromper (não se preocupe; são atóxicos). Não há nenhum problema associar as duas homeopatias na mesma refeição. Apenas atente para cuidados no armazenamento dos produtos. Ondas eletromagnéticas, radiação e cânfora e menta interferem nos efeitos dos produtos homeopáticos. O lugar mais seguro para guardar os frascos é uma gaveta no banheiro (que não abrigue também mentolados e canforados).

Antes de levar o peludo à praça, sítio ou parque, borrife na pele dele óleo de neem da marca Preserva Mundi. Para diluir é só adicionar 1 parte de óleo de neem concentrado em 9 partes de água em um borrifador opaco e misturar. Basta abrir os pelos para expor a pele e ir borrifando. Borrife inclusive entre os dedos das patas e no entorno das orelhas e pescoço, que são as regiões prediletas dos carrapatos. Neem é uma planta indiana que comprovadamente repele pulgas, carrapatos, moscas e mosquitos. Muitos clientes controlam pulgas e carrapatos em seus pets usando somente óleo neem borrifado no corpo do animal 2x a 3x por semana ou até diariamente, dependendo do risco de pegar essas praguinhas.

É importante informar que cães de pelagem branca (ou clara) podem ficar ligeiramente amarelados com a aplicação do neem. Nada  que não saia facilmente no próximo banho. Mas se isso te incomoda, outra dica seria embeber uma coleira de tecido em água com neem (8 partes água e 2 partes neem), esperar secar e colocá-la no cão antes de uma trilha ou situação em que ele exponha a pulgas e carrapatos. E usar sabonete de neem no banho.

Aproveite e aplique neem na caminha do pet e use-o diluído no chão onde o cão mais permanece. Para isso, use neem concentrado e o dilua em casa seguindo as orientações dos fabricantes.

Para melhores efeitos, associe os homeopáticos da Arenales ao óleo de neem Preserva Mundi. Não intoxicam e protegem de maneira ainda mais forte o seu peludo. É o que usamos nas nossas cadelas há anos, com muito sucesso. E olha que elas vivem em casa com grama, passeiam na rua e frequentam parque.

Muito importante: antes de aplicar QUALQUER produto tópico no pet, aplique uma gotinha na parte interna da coxa ou virilha dele e observe por 24 horas se ocorre alguma reação alérgica, como vermelhidão, vergões ou coceira. Não utilize o produto em caso de suspeita de reação. Os produtos fitoterápicos sugeridos aqui geralmente são seguros, mas é impossível prever a reação particular de cada indivíduo.

Vermes

Ao contrário do que muitas pessoas acreditam, vermífugos convencionais não previnem verminoses. Eles apenas matam vermes (se houver vermes). Não possuem efeito residual, logo, não previnem ou protegem contra infecção.

Como os vermífugos têm potencial tóxico ao fígado (sim, por serem essencialmente venenos) recomendo a cada 3 a 6 meses submeter 3 amostras de fezes do cão colhidas em dias alternados (exemplo: 1 amostra de segunda-feira, 1 amostra de quarta-feira e 1 amostra de sexta-feira) ao exame coproparasitológico. É só levar amostras à clínica veterinária. Se o exame comprovar verminose, o cão deverá ser vermifugado. Do contrário – ainda mais na ausência de sintomas (gases, fezes com muco, emagrecimento) – por que medicar?

Com produtos homeopáticos, contudo, é possível prevenir de verdade verminoses. O protocolo que recomendo nesse caso é o seguinte:

  • Fator Vermes da Arenales (contra vermes em geral): dê 5 glóbulos, 2x ao dia (pode adicionar ao alimento)
  • Fator Diproto Zoo da Arenales (contra giárdia): dê 5 glóbulos, 2x ao dia (pode adicionar ao alimento)

A cada 3 meses administre os produtos acima por 30 dias. Não há nenhum problema associar ambos na mesma refeição, nem mesmo com os homeopáticos indicados anteriormente para controlar pulgas e carrapatos. Só atente para cuidados no armazenamento das homeopatias. Ondas eletromagnéticas, radiação e produtos com cânfora e menta interferem nos efeitos dos homeopáticos. O lugar mais seguro para guardar os frascos é um uma gaveta no banheiro que não abrigue também mentolados e canforados.

Tártaro e mau-hálito

Os estudos mostram que a partir dos 3 anos de idade, 80% dos cães terá algum grau de tártaro, a doença periodontal, que causa mau hálito, gengivite e em casos mais extremos, dor e perda dos dentes. Some-se a isso o fato de que a bactérias do tártaro são patogênicas (perigosas) e geram inflamação sistêmica, podendo danificar precocemente os rins e o coração.

Se o tártaro já está presente em grau moderado infelizmente não adianta escovar. O melhor é procurar um bom odontólogo veterinário e agendar uma cuidadosa “limpeza de tártaro”. A partir de então, você poderá passar a escovar os dentes do pet para prevenir a recorrência.

Recomendo a escovação diária, mas se não for possível, então feita em dias alternados. Não é preciso escovar a arcada dentária de baixo e nem a face interna dos dentes. Dedique-se a massagear em movimentos circulares a face externa dos dentes da arcada superior, afastando os lábios do peludo com os dedos. Assista a um vídeo que gravei ensinando a prática. É muito mais fácil e simples do que parece e leva só um minutinho.

Uso gaze (ou escova Bitufo para o primeiro dentinho do bebê humano) e um pouquinho de óleo de coco para fazer a escovação, já que as peludas em casa adoram o sabor e o óleo de coco tem ação antisséptica. Mas você pode usar pasta específica para cães – só não use jamais pasta de dentes humana, que contém flúor e saponáceos que não devem ser ingeridos.

Uma alternativa à escovação seria a aplicação do gel Oral Care ou spray Oral Care da marca PetZLife, que ajudam a manter os dentes limpos com menos esforço e muitas vezes até conseguem dissolver o tártaro em estágio inicial, desde que seja aplicado com a frequência recomendada pelo fabricante. Hoje em dia também é possível importar esses produtos pelo site da Amazon.

Lágrima ácida

Seu peludo começou a apresentar manchas de coloração ferrugem (marrons) sob os olhos? Elas podem ter influência da dieta, então, se liga nessas dicas.

  • Ofereça água de pH alcalino, superior a 6.5 (quanto mais alto melhor). Marcas bacanas: Ibirá, Minalba e Cristal.
  • Troque carnes e vísceras de frango por carne de peixe e cortes magros suínos. Em muitos casos percebo que as manchas são um sintoma de hipersensibilidade (“alergia”) alimentar. Mantenha a dieta sem frango por 60 dias e observe.
  • Se estiver oferecendo vísceras (fígado, rim, baço etc) suspenda-as por 60 dias e veja como ficam as manchas. Substitua a porção de vísceras por mais carboidratos.
  • Se nenhuma das dicas acima adiantar, recorra a produtos comerciais que podem ajudar, como esseou esse (ambos são livres de antibióticos). Administre-os conforme as orientações dos fabricantes.
Viagem

Vai viajar e o peludo vai junto? Leve porções congeladas da dieta caseira com você! Adicione todos os complementos (óleos, fonte de cálcio etc) e congele, mesmo que não seja o ideal. Como será só por algumas semanas, não há problema.

Enquanto você se ausenta seu pet vai ficar na sua casa ou em um hotelzinho? Deixe as porções congeladas já prontas, com todos os complementos adicionados. Muitas creches e hotéis para cães possuem freezer e não se importam em armazenar e servir as porções.

Você também pode comprar dieta natural comercial em latas ou desidratada, como as da marca Pet Delícia ou Simple Dog, à venda na MOM, onde atendo em São Paulo, ou pelo site Bicho Integral. E é claro que se preferir você pode voltar a oferecer a ração que seu peludo recebia antes. Procure fazer uma transição gradativa ao longo de 5 dias da dieta natural para a ração. E depois faça o mesmo – uma transição de 5 dias da ração para a dieta natural – quando estiver de volta. Esse cuidado prevenirá vômitos e diarreias ocasionados por mudança brusca de dieta.

Produtos para limpar a casa

Esse cuidado é importante para qualquer pet (até mesmo pensando na SUA saúde), mas são fundamentais para peludos alérgicos. Cães têm contato direto com o chão, lambem as patas e não usam roupas, de maneira que ingerem e absorvem rotineiramente muitas substâncias químicas tóxicas e alergênicas. Você pode ajudar muito substituindo produtos convencionais (Veja, água sanitária, lustra-móveis etc) por bicarbonato de sódio, limão e vinagre diluído. Esses produtos limpam super bem, são mais baratos e, o mais bacana, não agridem a saúde de ninguém. Selecionei alguns sites para você transformar a limpeza da sua casa em um processo muito mais verde e seguro:

Kit natural de emergência
  • Para aplicar em feridinhas: gel FitoFix, da marca Organnact, à venda na loja onde atendo em São Paulo, a MOM. Ou pomada de calêndula, à venda em farmácia humana ou na loja online Bicho Integral.
  • Para amenizar diarreias e fezes com muco: pasta probiótica (informo várias marcas no parágrafo sobre diarreia), à venda em pet shops. Ou Floratil 100, à venda em farmácia humana.
  • Para limpar ouvido: removedor de cerúmen FitoVet. Usar conforme as informações da bula.
  • Para lavar patas inflamadas: iodopovidine (à venda em farmácia humana) e própolis sem álcool (à venda em farmácia humana, em loja de produtos naturais ou na loja online Bicho Integral).
  • Contra giardíases recorrentes: Fator Diproto Zoo da marca Arenales – administre conforme indicação do fabricante. Não há problema manter por meses. Para quadros de intoxicação alimentar aguda – Captor e Floratil.
  • Para limpar as patinhas ao chegar dos passeios: extrato de aloe vera (babosa), à venda na loja online Bicho Integral. É só aplicar a um pano limpo e passar. Mil vezes melhor do que lencinhos umedecidos de bebê lotados de química.
  • Para higienizar dobrinhas (faciais, genitais, rabinhos etc): extrato de aloe vera (babosa), à venda na loja online Bicho Integral. É só aplicar a um pano limpo e passar.
  • Caldo caseiro de ossos: irresistível, hidratante, ultranutritivo, palatabilizante natural de alimentos e restaurador de mucosas gastrintestinais. Não pode faltar no seu congelador. Receita aqui. 
Farmácia de manipulação

Para manipular (mandar aviar) as fórmulas que prescrevo, você pode recorrer às seguintes farmácias, que inclusive entregam a todo Brasil:

Produtos para banho

Shampoos costumam conter uma infinidade de substâncias químicas sintéticas que – pasme – não fazem bem à pele nem saúde do peludo, como parafina, sal, metilparabenos, propilenoglicol e outros nomes difíceis de pronunciar. O que eu realmente recomendo é a utilização de sabonetes totalmente naturais. São mais baratos que muitos shampoos para pets, duram mais e rendem excelentes resultados. Dê uma olhada nessa seção de sabonetes artesanais. Leia as descrições de cada produto – tem sabonete para pele ressecada (com caspa), muito oleosa, sensível, infectada. Com certeza você encontrará um ótimo sabonete 100% natural e atóxico para o seu peludo!

Rações

Vai viajar? Está meio apertado de tempo para preparar as porções de Alimentação Natural do seu amigão? Hoje em dia já temos no mercado brasileiro opções bacanas de AN comercial para cães e gatos saudáveis. Livres de corantes, conservantes sintéticos e alimentos transgênicos. Confira minhas recomendações:

  • Pet Delícia – disponível em porções congeladas ou em lata, cozida.
  • La Pet Cuisine – disponível em porções congeladas, cozida, também prepara dietas caseiras terapêuticas (formuladas para ajudar no controle de doenças crônicas nos cães)
  • Simple Dog – disponível em apresentação desidratada (não requer refrigeração; basta adicionar água morna), cozida.
  • Pura Pet – disponível em porções congeladas, crua ou cozida.

Se a ração seca é a sua única opção, essas são as melhores opções disponíveis no mercado brasileiro até o momento:

Consulte o fabricante da dieta escolhida para determinar quanto de alimento seu peludo deve receber por dia.

Consulta com nutrólogo

Está procurando um profissional em sua cidade que trabalhe elaborando planos dietéticos de Alimentação Natural para cães? Confira aqui uma lista com centenas de nomes em todo o Brasil. São veterinários e zootecnistas que participaram do meu curso sobre Alimentação Natural Terapêutica. Eles não fazem parte do Cachorro Verde nem possuímos nenhum vínculo profissional com eles, mas ao participar do nosso curso eles receberam instruções sobre a elaboração de dietas caseiras especiais.

Importante:

  • Bom senso é fundamental: se seu cão parece estar doente, não pense duas vezes, leve-o ao médico-veterinário.
  • Se depois de 2-3 dias colocando em prática as dicas acima seu peludo não estiver melhor, procure direto o clínico-geral de sua confiança ou um hospital veterinário.
  • Jamais tente medicar seu peludo sem a devida orientação veterinária. Certos remédios de uso humano são extremamente tóxicos para os cães, como o Tylenol e ácido acetilsalicílico.
  • Procure seguir à risca minhas orientações dietéticas. Frequentemente cães apresentam vômito, coceira e/ou diarreia por alterações bruscas na dieta, por oferta de petiscos em excesso ou consumo de alimentos inadequados.

 

Loja virtual brasileira de produtos naturais para pets:

Uso e recomendo a loja online Bicho Integral, idealizada pela excelente veterinária holística Dra. Carmen Cocca –  lá você encontra a maioria, senão todos, os itens que indico aqui.

Se você mora em São Paulo, muitos dos produtos indicados acima podem ser encontrados no pet shop onde atendo: MOM, localizado na Av. Hélio Pellegrino, 770, no bairro da Vila Nova Conceição, tel: (11) 3842-4258. Antes de sair de casa dê uma ligadinha na MOM e certifique-se de que a loja possui o produto.

Este material foi elaborado pela médica-veterinária Sylvia Angélico, CRMV-SP 29943, e é parte integrante de um tratamento personalizado proposto em consulta veterinária. Não é permitida a comercialização, distribuição, divulgação e reprodução total ou parcial deste conteúdo sem a devida autorização da autora.

Fique por dentro!

Fique por dentro!

Inscreva-se na nossa newsletter para receber nossas novidades por email.

You have Successfully Subscribed!