(http://www.multi-therapy.co.uk/homeopathy.htm)

Não é nenhum segredo que apóio – e até onde o bom senso permite, prefiro –  terapias ditas alternativas ou complementares para pessoas e animais.  Há anos venho tratando diversos problemas de saúde de meus cães e gatos com Homeopatia e os resultados freqüentemente são surpreendentes.

Aliás, conheço muita gente que cresceu tomando majoritariamente, ou até exclusivamente, remédios homeopáticos. Tenho muitos amigos que tomam ou tomaram Homeopatia para ajudar em fases específicas de suas vidas. Em muitos desses casos, a doença só foi efetivamente controlada com o tratamento homeopático. Por outro lado também conheço quem tenha desistido da Homeopatia por não ter percebido efeitos de nenhum tipo.

É verdade que um tratamento homeopático pode não funcionar. O sucesso do tratamento homeopático tradicional depende de inúmeros fatores: um profissional homeopata experiente, sensível e competente, pacientes dispostos a conversar com o médico sobre si mesmos e sobre os males que os afligem, matérias-primas de qualidade, farmacêuticos idôneos, a adesão ao tratamento e a devida conservação dos remédios.

Embora realmente possa não funcionar como se espera em 100% das vezes, o tratamento com Homeopatia:

  • é seguro: dificilmente causa efeitos adversos ou intoxica – ao contrário de inúmeros medicamentos convencionais,
  • em geral é barato (se manipulado),
  • é mais ecológico que a alopatia (um pouquinho de princípio ativo produz litros ou quilos de remédios – e seus resíduos não são poluentes),
  • não promove resistência microbiana,
  • não explora países economicamente desfavorecidos,
  • os remédios não são cruelmente testados em animais,
  • não gera resíduos nas plantas, carnes e outros produtos de animais
  • não vicia

Agora vem a ironia. O slogan da atual campanha anti-homeopatia pretende chocar o público ao declarar que o remédio homeopático “é feito de nada”. Desculpe-me, mas chocante é achar que isso é novidade. Todo mundo que conhece Homeopatia sabe que as bolinhas ou gotinhas não contêm moléculas de princípio ativo em função das sucessivas diluições a que o remédio é submetido – um processo denominado dinamização.

Dã! É assim que é produzida a Homeopatia, gente.

Todos os livros, artigos e panfletos sobre Homeopatia trazem essa informação. Jamais se pretendeu escondê-la de ninguém. Querer chocar a população com dados que apenas evidenciam as fundamentais diferenças entre sistemas de medicinas é, no mínimo, ridículo. É como se estivessem gritando: “Homeopatia não é Medicina Convencional”. Sim, isso é evidente. Inclusive, esse é o principal motivo por trás da procura cada vez maior por esse tipo de tratamento.

Se você desconhecia essas informações, é porque nunca se tratou com Homeopatia ou, caso tenha se tratado assim, nunca buscou se informar melhor sobre o assunto. Aliás, para quem se trata assim a míope interpretação alheia dessa informação pouco importa.

A Homeopatia é simplesmente diferente. É complicado compará-la à alopatia.

Quer ver de que outras formas ela se distingue? Diferentemente da medicina convencional, ela trata o indivíduo, e não os sintomas ou a doença. Quer mais? Se prepare, porque o que vem a seguir será realmente chocante: a Homeopatia cura pela lei dos semelhantes. Em outras palavras, o remédio homeopático prescrito contra dor provoca dor, o remédio prescrito contra febre provoca febre. Incomodamente paradoxal para a nossa lógica ocidental, certo?

Antes de imediatamente julgar e criticar uma conduta diferente da alopatia (que trata pelo antagonismo) – se informe melhor. Procure compreender o sistema homeopático. As pessoas que se tratam pela Homeopatia merecem ser ouvidas. Elas não são vítimas de um sistema que não funciona. Por livre arbítrio, elas abraçaram a Homeopatia – uma medicina que nunca escondeu que é diferente.

Não tem saco, tempo ou interesse de conhecer o outro lado? É um direito seu, mas não boicote. Está na cara que essa campanha foi encomendada para transformar a Homeopatia e seus adeptos em motivo de chacota. Os protestos não partiram de pacientes insatisfeitos com a Homeopatia. Pense nisso. Se pergunte de onde pode estar vindo esse movimento e quem teria a lucrar com a extinção da Homeopatia.

O respeito mútuo deve prevalecer em todas as situações no mundo. A tolerância. Você não gosta de Homeopatia? Acha que é babaquice? É muito simples: não opte por essa modalidade de tratamento. À sua disposição, se encontram inúmeras outras formas de terapias. Não merece ser cultivada a liberdade de buscar o que melhor serve a cada um de nós?

“A literatura científica provou que Homeopatia não funciona”

A Medicina tradicional não deve ser a única referência, o único parâmetro contra o qual avaliamos e legitimamos todas as demais formas de terapia. O atual sistema científico também erra. Também pode ser corrompido. Pesquise: quantos medicamentos convencionais foram retirados do mercado após causarem mortes ou debilidades permanentes? Ora, mas eles não foram todos rigorosamente testados cientificamente quanto à segurança antes de invadirem as prateleiras das drogarias?

A Homeopatia é tradicionalmente uma medicina individual. Não é uma terapia massificada, “tamanho único”. A dois pacientes sofrendo da mesmíssima doença, podem ser prescritos remédios homeopáticos diferentes, porque o tratamento homeopático clássico se baseia em particularidades do indivíduo, e não na doença.

Daí a dificuldade de aplicar eficientemente à Homeopatia um sistema de avaliação que nasceu com e para a medicina convencional. Pra mim é bastante simples. Sistemas diferentes devem ser avaliados de formas diferentes. Do contrário, o exercício se torna tão produtivo quanto comparar objetivamente dois idiomas com gramáticas, ortografias e expressões singulares. Para se aprofundar nas implicações dessa discussão, recomendo enfaticamente a leitura do magistral artigo escrito pelo médico Dr. Alexandre Feldman: Bom-Senso versus “Medicina Baseada em Evidências”.

Não se engane. A Homeopatia está sendo publicamente condenada e ridicularizada porque é diferente da medicina convencional. É esse o seu “crime” essencial.

Abaixo, alguns artigos e trabalhos científicos que, mesmo diante de todas as limitações impostas pelo único sistema  de avaliação vigente, conseguiram demonstrar a eficácia de tratamentos homeopáticos veterinários:

Gastos do orgão britânico National Health Service (NHS) com Homeopatia e Alopatia

Fique por dentro!

Fique por dentro!

Inscreva-se na nossa newsletter para receber nossas novidades por email.

You have Successfully Subscribed!