Por Que Evitar o Microondas?

O uso do forno de microondas para cozimento, aquecimento e descongelamento rápidos faz parte do cotidiano de todos nós. De tão acostumados que estamos a utilizá-lo, acabamos naturalmente estendendo seu uso para a dieta natural dos animais de estimação. De fato, o aparelho de microondas é o máximo da conveniência alimentar em nossa cozinha. Mas será que estamos bem informados em relação ao seus possíveis riscos à saúde?

Ninguém fala sobre malefícios do microondas, mas nós sabemos que com radiação não se brinca. É praticamente impossível encontrar artigos científicos afirmando problemas em seu uso prolongado. Mas nenhum nutricionista que se preze defende uma dieta à base de “comida de microondas”. Nossas avós, acostumadas aos tradicionais forno e fogão, torceram o nariz para essa nova invenção. E as mamães mais esclarecidas tentam evitar o preparo de alimentos para bebês e crianças no microondas.

Me parece que, no fundo, no fundo, nós sabemos que esse aparelhinho não é tão inocente assim. Só não nos explicaram porquê.

Depois de receber e-mails questionando a segurança do descongelamento de legumes, carnes e meaty bones (carnes com ossos) no microondas, fiz uma pesquisa e encontrei alguns dados no mínimo interessantes. São informações pra variar polêmicas e pouco divulgadas. Mas a proposta do Cachorro Verde é essa mesmo.

Curiosamente, quase não encontrei menções negativas ao microondas pesquisando na Internet em português. Entretanto, basta digitar a mesma expressão de busca em inglês para se deparar com inúmeros sites abordando esse assunto. Selecionei, traduzi e adaptei trechos dos textos mais completos que encontrei sobre possíveis efeitos maléficos do microondas, extraídos do excelente site Dr. Mercola, do médico norte-americano Joseph Mercola. Vale a pena se cadastrar nesse site, fonte de uma infinidade de dicas imperdíveis nas áreas de saúde, nutrição e bem-estar – para humanos.

Entenda porque, sempre que for possível, você deve evitar descongelar, aquecer ou cozinhar as refeições dos seus cães e gatos – e até as suas! – no forno de microondas.

Como o microondas funciona?

Essas tais microondas são uma forma de energia eletromagnética, como ondas de luz ou de rádio, e ocupam uma parte do espectro eletromagnético de potência, ou energia. Em nossa era tecnológica, as microondas são utilizadas nos sinais telefônicos interurbanos, programas televisivos, informação de computadores ao redor da Terra e até em satélites no espaço. Mas as microondas que melhor conhecemos são as usamos para cozinhar ou aquecer nossos alimentos.

Cada aparelho contém um magnetron, um tubo onde os elétrons são afetados por campos magnéticos e elétricos de maneira a produzir radiação em micro comprimento de ondas a cerca de 2450 Mega Hertz (MHz) ou 2.45 Giga Hertz (GHz). É essa radiação que interage com as moléculas do alimento. Ondas energéticas invertem a polaridade – de positivo para negativo – a cada ciclo da onda.

A medida que as microondas geradas pelo magnetron bombardeiam o alimento, elas causam a rotação das moléculas polares na mesma freqüência até bilhões de vezes por segundo. Toda essa agitação cria uma fricção molecular, que aquece a comida. Essa maneira de esquentar alimentos provoca danos substanciais às moléculas em volta, podendo destruí-las ou deformá-las. O problema apontado pelos detratores do microondas é justamente esse. Eles alegam que nenhum alimento natural foi criado para suportar esse tipo de exposição sem destruição de propriedades. De fato, o cozimento com calor (vapor, brasa, ou qualquer outro), embora mais lento, resulta em maior preservação de nutrientes.

Temperatura estranha

A temperatura do alimento pode se tornar extremamente quente ao ponto de provocar queimaduras e até explodir (dentro do aparelho) por acúmulo de vapor. Além disso, o alimento é aquecido de forma pontual. Formam-se bolsões de calor escaldante em alguns pontos, enquanto outros permanecem frios. O pet pode queimar a boca e o esôfago ao ingerir o alimento que você, ao tocar uma parte, julgou estar morno.

Destruição de nutrientes

* Estudos mostram que o leite aquecido no microondas perde vitaminas. Se for leite materno, parte das células de defesa da mãe são destruídas.

* Nutrientes vegetais que combatem o câncer são destruídos pelo microondas.

* A estrutura química dos alimentos é alterada, com conseqüências desconhecidas (não é surpreendente que pouquíssimos estudos tenham sido realizados sobre microondas…).

* Segundo um artigo publicado na edição de novembro de 2003 do The Journal of the Science of Food and Agriculture (O Diário da Ciência do Alimento e da Agricultura), o brócolis aquecido no microondas perde até 97% dos seus benéficos antioxidantes. O mesmo brócolis cozido no vapor perderia apenas 11% ou menos dessas propriedades.

* Um estudo comparativo entre alimentos crus e preparados convencionalmente, e alimentos preparados no forno de microondas, publicado por Raum & Zelt em 1992, afirmou que aminoácidos naturais sofrem alterações isoméricas (no formato) e podem se transformar em formas tóxicas.

* Um extenso estudo publicado por alemães, suíços e russos determinou que:

- Usar o microondas como forma de matar microorganismos em carnes ocasiona a formação de d-Nitrosodienthanolaminas, um conhecido carcinogênico (“cancerígeno”).

- Descongelar frutas promoveu a conversão do glusídeo e galactosídeo das frutas em substâncias carcinogênicas.

- Submeter leite e cereais converteu parte de seus aminoácidos em carcinogênicos.

- Exposição curtíssima de vegetais crus, cozidos ou congelados ao microondas converteu seus alcalóides vegetais em carcinogênicos.

- Radicais livres carcinogênicos foram formados em legumes de raízes no microondas.

- Os pesquisadores russos também reportaram uma aceleração na degradação estrutural, levando a uma diminuição de 60 a 90% dos valores nutricionais nos alimentos testados.

- O complexo vitamina B, a vitamina C, a vitamina E, os minerais essenciais e os lipotrópicos (substâncias que auxiliam na metabolização de gorduras) tiveram todos sua biodisponibilidade (habilidade em serem aproveitados pelo corpo) drasticamente reduzida.

- As núcleo-proteínas (proteínas dos núcleos das células) das carnes foi degradada.

- Em alimentos vegetais houve danos aos alcalóides, glucosídeos, galactosídeos e nitrolosídeos.

Formação de compostos carcinogênicos

Ainda segundo a pesquisa conduzida por cientistas alemães, suíços e russos:

- As alterações químicas sofridas pelos alimentos provocam disfunções no sistema linfático, interferindo na habilidade imunológica do organismo de lutar contra certos tipos de neoplasias (tumores).

- A ingestão de comida preparada no microondas aumentou a porcentagem de células cancerígenas (citomas) no soro sangüíneo.

- Radicais livres (moléculas carcinogênicas altamente reativas e incompletas) foram formados dentro de alguns minerais, em particular, nos legumes de raízes.

- Em uma estatisticamente elevada porcentagem de pessoas, alimentos preparados no microondas causaram tumores estomacais e intestinais, assim como uma degeneração generalizada dos tecidos periféricos, com redução gradual nas funções de digestão e excreção.

- Carcinogênicos foram encontrados em virtualmente todos os alimentos preparados no microondas.

Efeitos biológicos da exposição radioativa

Não só comer alimentos preparados no microondas faz mal. A sua permanência (ou do pet) próxima ao aparelho em funcionamento pode causar efeitos prejudiciais ao organismo. Leia o que os soviéticos descobriram, na década de 70 em estudos sobre o microondas.

- A exposição à radiação do microondas e o consumo freqüente de comidas preparadas no aparelho provou causar danos cerebrais permanente ao interferir com os impulsos elétricos do cérebro (despolarizando ou desmagnetizando o tecido cerebral)

- Os efeitos da radiação (e da ingestão de “comida de microondas”) são residuais, ou seja, permanecem no corpo a longo prazo.

- Dentre os efeitos da exposição à radiação (também vale a ingestão contínua de alimentos) de microondas, estão: perda de memória, dificuldade de concentração, instabilidade emocional e decréscimo na inteligência.

Outros efeitos nocivos

- Em 1991, nos Estados Unidos, uma mulher submetida a uma cirurgia de quadris recebeu uma transfusão de sangue e morreu logo após. Por que? A enfermeira aquecera a bolsa de sangue no microondas. A composição do sangue foi drasticamente alterada. Esse episódio deu processo e levantou a suspeita de que o aparelho de microondas fazia mais do que simplesmente aquecer alimentos.

- As moléculas dos alimentos não foram feitas para vibrar nos níveis impostos pelo cozimento com microondas. Isso tende a danificar os nutrientes mais delicados e eles perdem a capacidade de nutrir você e o animal da forma esperada.

- Toxinas carcinogênicas (cancerígenas) podem vazar das bandejas plásticas ou de papel, ou das películas plásticas dos alimentos feitos para serem preparados no microondas. E podem se misturar à sua comida.

- A produção de hormônios femininos e masculinos pode ser alterada ou interrompida pela ingestão contínua de alimentos preparados no microondas

- O cozimento no microondas forma novos compostos (compostos radiolíticos), desconhecidos do homem e da natureza. Não se sabe ao certo o que esses compostos fazem no organismo. Provavelmente será algo difícil de determinar, uma vez que há outros compostos desconhecidos sendo introduzidos no organismo diariamente advindos de uma variedade de fontes como novos produtos alimentícios e comidas geneticamente modificadas.

Os estudos do Dr. Hans Hertel

De acordo com as pesquisas do Dr. Hans Hertel, um cientista de alimentos suíço, o cozimento com microondas não só altera significativamente os nutrientes dos alimentos, como provoca alterações no sangue das pessoas assim que elas consomem alimentos cozidos no microondas. Colhendo e analisando o sangue de participantes de seu estudo, ele descobriu:

- Níveis de colesterol diminuídos, incluindo o bom colesterol (HDL)

- Leucocitose (aumento no número das células de defesa), sugestivo de intoxicação

- Redução no número de hemácias (glóbulos vermelhos)

- Produção de compostos radiolíticos (compostos ausentes na natureza)

- Níveis mais baixos de hemoglobina, o que poderia indicar uma tendência à anemia

O Dr. Hertel e sua equipe publicaram esses resultados em 1992. Mas uma organização suíça, a Swiss Association of Dealers for Electro-apparatuses for Households and Industry (A Associação Suíça de Comerciantes de Eletrodomésticos para Casas e Indústrias), emitiu uma proibição de publicação, impedindo o Dr. Hertel de declarar que os microondas faziam mal à saúde. A proibição de publicação só foi removida em 1998, depois que os tribunais suíços determinaram que essa medida violava o direito à liberdade de expressão. A Suíça acabou sendo ordenada a pagar uma compensação ao Dr. Hertel.

Conclusão e alternativas seguras para descongelamento

Os resultados das pesquisas citadas afirmam que mesmo exposições breves dos alimentos à radiação do aparelho de microondas – ou seja, um inocente descongelamento – podem resultar em perda de nutrientes e danos à saúde. Quais, então, seriam as saídas para um descongelamento seguro das porções da alimentação natural?

  • Geladeira

Bata retirar os saquinhos contendo meaty bones (carne com ossos, a refeição da manhã) ou o tupperware com a refeição da noite do freezer e deixá-los na parte mais baixa da geladeira (onde é menos gelado) por um mínimo de 24 horas. Não se esqueça de posicionar o saquinho ou tupperware dentro de recipientes maiores, para o caldinho da carne crua não sujar sua geladeira.

  • Cuba com água

Esqueceu de retirar as porções com antecedência? Não faz mal. Basta encher com água (temperatura ambiente ou morna; nunca quente!) um recipiente, colocar o alimento a ser descongelado dentro de uma sacola plástica comum (com um nó nas alças, para não entrar líquido), posicionar o alimento ensacado dentro da água , e trocar a água a cada meia hora (ou quando notar que ela ficou gelada). Logo, logo, a porção está descongelada e prontinha para servir ao seu cão ou gato.

  • Posso deixar descongelando sobre a pia?

Não é aconselhável descongelar as porções sobre a pia, da noite para o dia. Isso propicia a proliferação bacteriana, atrái moscas e, se o dia estiver muito quente, pode até estragar o alimento. Eu não arriscaria.

O que faço com meu microondas?

- Fácil, use-o o mínimo que puder. Pense assim: estudei tanto a alimentação natural, compro os melhores ingredientes para meus pets e tomo o tempo para preparar tudo. Não vou pôr todo esse investimento a perder em nome da conveniência, vou?

- Não deixe que crianças, gatos e aves permaneçam próximos ao aparelho ligado. Cães em geral não têm acesso tão próximo ao microondas, mas a regra vale para eles também. Aliás, vale para todo mundo. Incluindo você.

- Procure imediatamente a assistência técnica se a porta do seu aparelho de microondas estiver com imperfeições ou danos que a impeçam de selar completamente o aparelho durante o funcionamento. O vazamento radioativo pode ser extremamente prejudicial a todos os ocupantes da residência.

- Aproveite a eficiente capacidade destrutiva do microondas para o bem: esterilize utensílios de cozinha nele. Deixe lá dentro tábuas de cortar carne, panos e até as tigelas dos seus pets (desde que sejam de vidro ou cerâmica) por uns dois minutos. 99,9% das bactérias e outros microorganismos sairão de lá mortinhos.

Para quem quiser saber mais:

- Sobre o Dr. Hans Hertel e seus estudos, clique aqui (artigo em inglês)
– A associação entre a epidemia mundial de obesidade e o uso do microondas, clique aqui (artigo em inglês)
– O uso do microondas e a perda dos nutrientes, clique aqui (artigo em inglês; site excelente, mas exige cadastro)
– Os estudos dos russos em detalhes, e os carcinogênicos presentes nas embalagens dos alimentos feitos para microondas, clique aqui (artigo em inglês)

Bom apetite e uma lambida do Cachorro Verde!

Publicado em 9 de novembro de 2008 por Sylvia Angélico