Quiropraxia Veterinária

Quiropraxia em ação: Dra. Camila Morandini, do Quirovet, e paciente

O que é cuidado quiroprático?

Quiropraxia é um método manual de tratamento. A palavra Quiropraxia deriva do grego e significa “executar com as mãos”. Essa técnica foi desenvolvida no século 19 como um método de manutenção da saúde e tratamento para disfunções neurológicas e músculo-esqueléticas e seus efeitos no organismo.

A Quiropraxia concentra-se nos movimentos anormais da coluna vertebral e nos efeitos que este desajuste causa no sistema nervoso e em todo o corpo. O tratamento quiroprático tem como finalidade maximizar a mobilidade e aperfeiçoar a função do sistema nervoso para permitir troca de informação irrestrita entre o cérebro e os demais órgãos do corpo.

Qualquer restrição de movimento entre duas vértebras pode adversamente afetar os nervos que existem na coluna vertebral, irritando-os. Antes do tratamento quiroprático, toda a coluna vertebral e os membros do animal são examinados para identificação de restrição de movimento em cada articulação. Detectada a restrição, a articulação afetada será tratada com a quiropraxia.

O tratamento quiroprático não substitui o tratamento médico veterinário convencional, porém aumenta a eficácia da terapia médica tradicional para disfunções da coluna vertebral e órgãos internos. É também um tratamento efetivo para dores agudas e crônicas causadas por problemas biomecânicos.

O que é um Complexo de Subluxação Vertebral (CSV)?

A quiropraxia define um CSV como movimento limitado de vértebras adjacentes e, ocasionalmente, o desalinhamento funcional dessas articulações.

Se a restrição está presente, a coluna vertebral perde sua mobilidade normal. Isso pode causar rigidez, tensão muscular, dor e a diminuição do desempenho. Restrição do movimento entre duas vértebras também pode afetar os nervos da coluna vertebral. Esses nervos saem da medula espinhal entre as vértebras e devem fornecer uma circulação de informação irrestrita entre o cérebro, músculos, pele e todos os outros órgãos.

Um fluxo não contínuo de informações causa uma diminuição da coordenação e/ou disfunções nos órgãos (como problemas cardíacos ou no sistema digestivo).

Algumas subluxações causam somente uma leve perda da movimentação. O animal movimenta-se menos, torna-se menos ativo ou brincalhão. O aumento de sensibilidade ao toque em certas regiões do corpo também pode ser sinal de disfunção nervosa. Complexos de subluxações vertebrais podem causar prejuízos visíveis no desempenho de esportes, corridas e cães de caça.

Um animal com subluxação irá mudar a postura para compensar a restrição do movimento da coluna para evitar a dor. Isto provoca um aumento na tensão mecânica nas outras partes da coluna e articulações das extremidades, causando restrições secundárias do movimento e deterioração da condição física do animal.

Possíveis sinais e sintomas de CSV

Em pequenos animais há vários sintomas de subluxações. Os mais comuns incluem dor, distúrbios e a-normalidades em movimento ou postura.

  • Dor aguda no pescoço e costas (lumbago – dor reumática na região lombar e/ou sacral);
  • Desempenho limitado;
  • Relutância em se mover, subir escadas ou pular de superfícies elevadas;
  • Sinais de dor quando desempenha certos movimentos ou quando levantado;
  • Hipersensibilidade ao toque;
  • Granuloma de lambedura nas pernas ou patas;
  • Infecções periódicas nas orelhas ou glândulas anais;
  • Posição de sentar alterada, como sentam os filhotes (chamada de “puppy sitting”);
  • O animal só se deita de um lado;
  • Problemas digestivos periódicos;
  • Gotejamento de urina ou a incapacidade de prender as fezes;
  • Claudicação inespecífica, arrastando as patas ou movimentando-se lentamente, desgaste desu-niforme das unhas em uma ou mais patas.

Alguns usos do tratamento quiroprático

Todo animal deve estar sob cuidado veterinário regular. Se você suspeita de um problema com seu animal que possa ser tratado por um quiroprático animal, avise seu veterinário.

  • Trauma na coluna vertebral: o tratamento deve ser feito seguindo resultados de prévio exame acompanhado de raios-X;
  • Espondilose (ossificação da coluna vertebral – artrose): em muitos casos a movimentação de áreas saudáveis com sintomas de restrição de movimento da coluna pode levar a um alívio dos sintomas e da dor;
  • Síndrome da Cauda Eqüina (afecções neurológicas freqüentemente encontradas no cão. A compressão, destruição ou deslocamento das raízes espinhais que ocupam o canal vertebral caudal ao fim da medula espinhal levam a sintomas neurológicos);
  • Síndromes das Vértebras Cervicais (Síndrome de Wobbler, instabilidade vertebral cervical, es-pondilomielopatia cervical caudal, má-articulação/má-formação cervical, espondiloliestese cervical);
  • Discopatias: seguindo primariamente resultados de raios-X;
  • Granuloma de lambedura;
  • As alterações irreversíveis (como displasia coxofemoral, espondilose, artrose, etc.) podem cau-sar subluxações na coluna como resultado de compensação;
  • Artrose: freqüentemente causa CSV na coluna vertebral;
  • Neuralgia do nervo isquiático;
  • Inflamação/infecção periódica das glândulas anais;
  • Inflamação/infecção periódica das orelhas;
  • Incontinência: esta pode ser exacerbada pela subluxação em uma vértebra lombar;
  • Hiper e hipossensibilidade;
  • Claudicação inespecífica: esta pode ser causada por um CSV nas articulações dos membros ou na coluna vertebral;
  • Cães esportivos: a remoção de qualquer restrição do movimento, mesmo que mínima, ajuda no aumento do desempenho;
  • Pacientes idosos;
  • Tratamento preventivo para manutenção da aptidão física.

Tratamento Quiroprático

Se um CSV está presente, o desalinhamento funcional será ajustado, restaurando o movimento da articulação.

As articulações vertebrais são ajustadas com as mãos ou dedos do quiroprático, fazendo uma pressão extremamente rápida e precisa ao longo do plano da articulação da vértebra afetada. Cuidado quiroprático é um tratamento muito delicado e específico. O propósito é corrigir os CSVs na coluna e articulações atingindo de maneira positiva o sistema nervoso. Ao contrário de alguns outros métodos de manipulação não específicos, o tratamento quiroprático não causa um stress excessivo em ligamentos, trabalhando com o limite anatômico normal da articulação e estruturas de suporte.

A maioria dos animais mostra uma visível melhora após uma a quatro sessões. Problemas agudos freqüentemente respondem rapidamente à terapia, ao passo que problemas crônicos normalmente requerem tratamentos mais longos.

Pacientes com condições crônicas (como artrose, displasia coxofemoral ou espondilite), em que a restrição do movimento da articulação aparece como resultado da doença, respondem muito bem a um tratamento regular de suporte.


Dra. Camila Morandini

Quiropraxia Veterinária – Options for Animals
IVCA – Internacional Veterinary Chiropractic Association
(11)7044 5678 (11)7758 5734
camila@quirovet.com.br
www.quirovet.com.br